Às vezes a fotografia pode ser mais do que apenas um passatempo ou uma forma de arte. Ela também pode ser terapêutica para você. No meio dos anos 70, quando a produção em massa de câmeras amadoras estavam ganhando força, a psicóloga Judy Weiser cunhou o termo fototerapia para descrever o efeito que a fotografia (e outras ações com fotos) causam nos indivíduos. Resumindo, a fotografia se tornou útil para combater a depressão, estresse, fobias, ansiedade e baixa autoestima.

Hoje, a plataforma criada pela Judy Weiser é uma rica fonte que comprova os poderes de cura da fotografia. Um recurso interessante é o The One Project, um site e aplicativo dedicado a abraçar experiências traumáticas por meio da fotografia terapêutica e do storytelling.

Pensamos nesse aspecto durante o período da pandemia e dos bloqueios globais e convidamos artistas profissionais e amadores para participar do desafio #lockdownart. Os fotógrafos tiveram uma plataforma para compartilhar suas fotos criadas durante esse período difícil como uma forma de mostrar também que essa arte e criatividade não podem ser tiradas deles, mesmo com os bloqueios. Para muitos, foi também uma espécie de fuga que ajudou no combate das dificuldades e a apostar na expressão artística.

Nesse artigo, queríamos abordar o importante tópico de fotografia terapêutica e fototerapia, que poderá te ajudar a melhorar sua qualidade de vida. Aprenda algumas técnicas que você irá encontrar em passatempos onde você pode ser seu próprio suporte.

Fotografia terapêutica e fototerapia. Qual a diferença?

Vamos começar com uma introdução à fotografia terapêutica. Ela é um tipo de autoterapia, que inclui tirar fotos, publicá-las, discuti-las com terceiros e refletir sobre as suas fotografias assim como você reflete sobre outras fotografias.

Algumas (mas não todas) práticas de fotografia terapêutica podem ser chamadas de arteterapia. Por exemplo, as práticas incluem colagens de fotografias e sair com uma câmera em busca de imagens que refletem o seu mundo interior. Essas ações não deviam ser guiadas por um terapêuta pois são mais exercícios de auto expressão do que terapia.

A pesquisa conduzida há 3 anos pela Universidade Lancaster confirmou que uma rotina diária de fotografia e de postar imagens on-line melhoraram a qualidade de vida dos entrevistados nas áreas como socialização, cuidado pessoal, e o potencial de reminiscência. Outro estudo revelou que pessoas que tiram selfies com frequência se sentem mais felizes do que as que não se fotografam.

E a fototerapia é um tipo de terapia que os pacientes só podem realizar sob supervisão de um psicólogo, psicoterapeuta ou psiquiatra. É utilizada com frequência em grupos de reabilitação e apoio psicológico. Um exemplo de fototerapia: um exercício em que os pacientes tiram fotos de algo que não conseguem descrever em palavras ou algo que é doloroso para eles falarem.

Quais aspectos mentais você pode melhorar com esse tipo de terapia gratuita?

A vantagem da fotografia terapêutica sobre outras abordagens da arteterapia é que ela é mais recomendada para pessoas com transtornos mentais graves. Por exemplo, pessoas com depressão ou transtornos de ansiedade muitas vezes não conseguem pegar em tintas e pincéis. Ao passo que tirar fotos requer muito menos esforço e habilidades especiais. Basta estar curioso e aberto à possibilidade de ajuda que essa técnica tem a oferecer.

Fotografia e trabalhar com fotos podem ser úteis para você e seus amigos se estiverem lutando contra:

  • Depressão e ansiedade
  • Experiência traumática
  • Baixa autoestima
  • Fobia social
  • Medos e fobias complexas
  • Estresse e falta de concentração
  • Baixa motivação

Por que fotografar, publicar e discutir sobre fotos nos ajudam a lidar com esses e outros desafios mentais? Pode ser uma saída para a criatividade quando você sente que está sem.

Primeiro, o trabalho de usar uma câmera para fotografar tem um efeito meditativo e calmante, e publicar fotos no Instagram é uma comunicação controlada a uma distância segura. Segundo, criar algo novo a partir do zero é prazeroso (a dopamina é liberada) e nos ajuda a treinar nosso cérebro fazendo novas conexões crescentes. Terceiro, as fotografias nos permitem refletir sobre tópicos sobre os quais é difícil ou impossível de falar (como experiências traumáticas).

A fotografia terapêutica não é apenas para aqueles que estão lidando com problemas de saúde mental. Práticas desse tipo previnem doenças mentais e melhoram a qualidade de vida em geral. Por exemplo, práticas regulares de fotografia nos ajudam a dominar a autoexpressão e como resultado, torna a nossa comunicação com outras pessoas mais confortáveis e aumenta a nossa resiliência psicológica.

Close-up side view of afro american girl stock image

5 Ideias de autoterapia fotográfica para ter uma vida melhor

O que você precisa: qualquer câmera, notebook, conta de rede social (opcional), roupas confortáveis se você for sair, pelo menos 10 minutos livres diariamente.

Embora a fototerapia exija um supervisor qualificado, a fotografia terapêutica é uma prática preventiva que todos podem fazer para tentar melhorar a vida diariamente. Você pode até começar hoje. Existem 6 atividades que podem melhorar a sua saúde mental:

  • Tirar fotos
  • Editar fotos
  • Ver fotos antigas e refletir sobre elas
  • Mostrar imagens para outros
  • Discutindo sobre fotos
  • Trocando comentários

Se você investir tempo nessas atividades, vendo a fotografia como uma ferramenta e não uma forma de arte, você já vai se beneficiar deles com o tempo. Compilamos uma lista de exercícios fotográficos terapêuticos que irão te ajudar com um início fácil se você se interessar por esse tipo de autoterapia:

N°1 Responda a pensamentos indesejados tirando fotos

Não consegue se livrar de um pensamento indesejado ou de um estado de espírito? Pegue o seu celular ou câmera e tire fotos que condizem com o seu estado. Se esforce para garantir que sua sessão de fotos terapêuticas seja como um fluxo e absorva tudo o que está pensando. Encontre uma metáfora visual não apenas para situações desagradáveis, mas também para seus possíveis resultados.

N°2 Tire selfies diariamente e mostre para os outros

Tirar autorretratos pode ser útil pois aumenta nossa auto-estima e isso se torna verídico se aplicarmos um toque mais criativo e artístico para refletir como nos percebemos. As selfies nos ajudam a nos aceitar e cuidar melhor de nós mesmos, além de nos conhecermos melhor. A longo prazo, esses tipos de fotografia podem ser uma ferramenta para explorar as nossas transformações pessoais. Então comprometa-se a tirar uma selfie uma vez por dia durante pelo menos duas semanas e ficará surpreso com o quanto irá descobrir e aprender sobre você mesmo.

Funny portrait of a smiling young girl in pink glasses stock photo

N°3 Fotografe coisas que te fazem sentir emoções negativas ou positivas

As pessoas nem sempre conseguem entender o que as está incomodando e o motivo. Nosso cérebro tende a reprimir experiências negativas e nos proteger de memórias traumáticas (embora possam ser a causa de complexos e fobias). Fotografar objetos com os quais você tem uma conexão emocional pode te ajudar a reconhecer, aceitar e neutralizar as experiências, que na maioria das vezes, estão ligadas à infância.

N°4 Escreva histórias baseadas nas suas últimas fotos

A comunidade do The One Project aumenta o impacto positivo da fotografia com técnicas de storytelling. E essa é considerada uma estratégia muito poderosa! Enquanto a fotografia nos ajuda a aprimorar nossa experiência e começar a falar sobre ela como algo separado de nós, as palavras nos dão a chance de reconhecer nossos sentimentos e encontrar soluções. Fotografe enquanto caminha pela rua e quando chegar em casa, escreva o que vier à mente quando você olhar para ela.

Teen girl college student wear headphones stock photography

N°5 Crie o seu mapa de foto

A autoexploração por meio da fotografia é uma prática divertida que também pode envolver outras pessoas. Convide seus amigos, familiares ou vizinhos para fazer um tour fotográfico pelo bairro ou em alguma rota que seja familiar para você. Fotografe tudo que despertou a sua atenção e, logo em seguida, desenhe um mapa por onde você passou, observando quais partes do caminho foram agradáveis para você e o que veio à sua mente quando passou por eles.

 

Considerações finais

A fotografia terapêutica está disponível para todos, independente do nível profissional, equipamento e criatividade. Porém, todos esses aspectos podem ser impulsionados dedicando pelo menos 10 minutos por dia à prática, e com isso a fotografia irá se tornar para você uma ferramenta de cura. Não foque apenas no fim do objetivo porque isso é uma jornada.

Um elemento importante da fotografia terapêutica é compartilhar suas fotos com alguém que irá entender ou descrevê-las em palavras, podem ser amigos ou até mesmo comunidades. O aspecto da escrita e a reflexão dessa técnica também pode ser muito útil se você tiver problemas para comunicar seus pensamentos e sentimentos com palavras.

Às vezes hobbies espontâneos podem se tornar projetos de paixão. Tenha em mente que as suas fotografias exclusivas podem fazer parte do seu portfólio. Sempre recebemos fotógrafos, especialmente aqueles que querem continuar explorando o mundo e derramar luz sobre os importantes problemas contemporâneos.

Um pequeno resumo do blog depositphotos