O Dia Internacional da Mulher pode ter acabado, mas a questão da desigualdade circula por todos os cantos da web. Apesar de 2019, as estatísticas continuam decepcionantes: as mulheres ganham 25% menos do que os homens, apenas 16% das mulheres se formam com diplomas em STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) e 82,1% das cadeiras do conselho nas empresas da Fortune 1000 são homens.

Nas indústrias criativas, a desigualdade das mulheres também é um problema. As fotógrafas não são consideradas atrizes de pleno direito no mundo dos homens, já que o lançamento da Nikon D850 foi testado em estradas por 32 profissionais que não incluía nenhuma mulher.

Para aumentar a conscientização sobre o assunto mais uma vez, o Crello criou um guia fascinante, inspirador e motivador para campanhas de capacitação de mulheres. O Crello se concentra em algo mais fundamental – mostrando e destacando que as mulheres podem ser fortes, corajosas, capazes e assertivas.

Cinco campanhas que dizem que todos nós devemos ser iguais

Mulheres devem

Organizada pela ONU, a campanha mostra que ainda há muito preconceito e discriminação em relação às mulheres. Se você digitar “mulheres devem” na pesquisa do Google, você encontrará uma lista aterrorizante de solicitações: as mulheres devem ficar em casa, ser escravas, não falar na igreja etc. A campanha Mulheres Devem fornecer um final alternativo para a fase: mulheres devem ser vistas como igual de agora em diante.

#banbossy

A campanha #banbossy foi apoiada por Beyoncé, Jennifer Garner, Jane Lynch e outras celebridades que também acreditam que ser uma garota ambiciosa é totalmente normal. A questão remonta ao fato de que as meninas do ensino médio são menos interessadas em papéis de liderança, porque eles estão preocupadas em serem percebidas como mandonas. A campanha pede que as pessoas se comprometam a não usar a palavra “mandão”.

#FThePayGap

O lançamento do #FThePayGap enfatizou a questão da diferença salarial entre homens e mulheres, que, em média, constitui 25% a favor do primeiro. Os organizadores criaram uma série de mensagens provocativas, que mostram como é insultante a diferença salarial.

FThePayGap women empowerement campaign

#ComoUmaGarota

As estatísticas afirmam que, na puberdade, 50% das meninas se sentem paralisadas pelo medo do fracasso. Para aumentar a autoconfiança das meninas, a campanha #ComoUmaGarota foi lançada. Desafia a observação popular “Você joga como uma garota”, frequentemente usada como um insulto para um garoto que faz um lance ruim, e transforma a frase de um insulto em um elogio. A campanha foi tão relevante que o curta-metragem patrocinando a confiança das meninas obteve mais de 66 milhões de visualizações.

Nós Vemos Igual

Como já mencionamos, algumas profissões ainda são consideradas estritamente para homens. Para eliminar esse estereótipo, há uma campanha em andamento, We See Equal. Aborda o viés de gênero na ciência e destaca que “as equações não se importam com quem as resolve, a ciência não se importa com quem a estuda, as fraldas não se importam com quem as trocam, os medos não se importam com quem os vencem, o salário igual não se importa com quem necessita”.

Entre outras questões levantadas estão clichês de gênero, falta de igualdade nas indústrias criativas, câncer de mama, abuso doméstico, discriminação no local de trabalho e muito mais. Você pode explorar todas as campanhas de empoderamento das mulheres aqui:

50 campanhas de empoderamento feminino

Além disso, o Crello criou modelos personalizáveis ​​com temas para cada uma das 50 campanhas. Visite o site e baixe um modelo perfeito para o seu projeto.

Assine nosso blog

Mantenha-se atualizado com as tendências, obtenha dicas e insights valiosos, além de materiais bônus.

Comentários estão fechados.