Christina Pauchi é uma fotógrafa promissora da Letônia, cujo portfólio consiste predominantemente em fotografias e ilustrações de natureza morta. Em suas obras, Christina revela histórias clássicas femininas sobre cuidados pessoais, maquiagem e compras. Ela também aborda temas que moldam sua vida: proteção ambiental, positividade do corpo e feminismo.

Nesta entrevista, Christina reflete sobre como as tendências globais influenciam a fotografia, qual é o seu estilo de assinatura e como desenvolver uma abordagem prática para encontrar idéias.

Tornando-se uma fotógrafa de banco de imagem

Nasci e moro em Riga, Letônia. Desde a infância, tentando encontrar meu chamado, fiquei fascinada por vários tipos de atividades criativas, do desenho à costura.

Mais tarde, tendo um emprego mediano, fiquei entusiasmada em tirar retratos. Isso se tornou meu hobby e, em seis meses, tive a sorte de encontrar um emprego em um estúdio de fotografia como fotógrafa de banco de imagens. Lá aprendi a fotografar a natureza morta para fotos de banco de imagens. Ao mesmo tempo, havia oficinas e palestras on-line de fotógrafos de retratos que me interessavam. Após dois anos de trabalho contratada, mergulhei no desenvolvimento de meu próprio portfólio de fotografias de banco de imagens.

Кристина Паучи «Стиль – это лишь набор ограничений»

Não estou procurando desenvolver um estilo, estou apenas tentando criar trabalhos que seriam interessantes para mim e para os outros. Eu dou meus primeiros passos na ilustração agora, para que o estilo possa ser chamado de “tentando o meu melhor”. No entanto, no meu portfólio, você pode acompanhar o interesse em layouts planos e gráficos 3D.

Estilo é apenas um conjunto de limitações que você usa de tempos em tempos.

Na fotografia, gosto de trabalhar com luz do dia, fundos coloridos (e não sou fã de cor rosa) e temas claros. Provavelmente é isso que define meu estilo.

Meu conselho é não ficar preso no estilo. Eu não acho que isso importe na fotografia comercial. Basta conhecer as tendências para criar trabalhos relevantes. Você precisa experimentar muitas coisas novas, procurar e aprender. Estilo é apenas um conjunto de limitações que você usa de tempos em tempos.

Mais cedo ou mais tarde, tendo cometido muitos erros e tomado decisões certas e erradas, você encontrará o que realmente gosta. Seus trabalhos serão baseados no seu próprio gosto e experiência e isso será um reflexo do seu estilo.

Кристина Паучи «Стиль – это лишь набор ограничений»

Sobre feminismo e abordagem prática em criatividade

Não sei o que aconteceu no começo. Pensei em questões como proteção ambiental e positividade do corpo e depois decidi refletir sobre elas em meus trabalhos, ou vice-versa. Esses temas me cativaram após as filmagens e ficaram comigo para sempre. Também me familiarizei com a idéia de desperdício zero, que é radical demais, na minha opinião. Mas comecei a usar alguns de seus princípios em minha vida e trabalho.

Você não precisa de um estilo para começar a criar.

Eu costumava comprar tudo o que achava que seria perfeito, enquanto agora desenvolvo uma abordagem mais cuidadosa para fotografar. Penso em onde mais posso usar essas coisas.

Gosto de trabalhar com bancos de imagens porque elas oferecem a oportunidade de aprofundar cada tópico. Embora o feminismo, a positividade do corpo, o vegetarianismo e a ecologia estejam na moda agora, eles também eram muito importantes no mundo contemporâneo. Alguns deles literalmente moldam minha vida.

Кристина Паучи «Стиль – это лишь набор ограничений»

Trato a fotografia como um trabalho e tenho uma abordagem prática para encontrar idéias. Eu os procuro em notícias, anúncios ou fóruns femininos. Coleto idéias e depois as expresso do meu jeito através de fotos ou ilustrações. Para mim, inspiração é um conceito abstrato.

Sobre fotografia de natureza morta e fluxo de trabalho

Meu amor pela fotografia começou com o gênero de retrato. Trabalhando no estúdio, eu estava envolvida com fotografia de natureza morta, e esses dois gêneros sempre combinaram comigo. Mas como a fotografia de banco de imagem se tornou minha principal ocupação, tento analisar as estatísticas do meu portfólio. Isso determina minhas prioridades.

Trabalhar com pessoas consome muita energia e também desempenhou um papel na escolha do gênero da fotografia. Para mim, a ilustração é agora um estágio de empoderamento. Estou aprendendo, tentando coisas novas e, no entanto, não sei até onde isso irá.

Кристина Паучи «Стиль – это лишь набор ограничений»

O fluxo de trabalho começa com a localização do tema certo. É um trabalho diário. Eu mantenho minhas anotações em quadros ocultos no Pinterest e no caderno, marcando os acessórios necessários para fotografar. Posteriormente, tomo uma ideia específica, planejo uma filmagem, decido o que e como fotografar e faço esboços de cenas simples. Começa então a parte prática: a busca, compra de adereços e o próprio tiro. No final, faço o pós-processamento leve e preparo as imagens para os bancos de imagens.

Sobre tendências e produtividade

Penso que as imagens de banco de imagens que estão na moda refletem questões relevantes. Podem ser globais, como nanotecnologia, exploração espacial ou proteção ambiental, ou podem ser mais pessoais, como que tipo de roupa está na moda ou como se livrar de rugas.

Quanto ao pós-processamento, o principal aqui é conhecer a medida. E não se esqueça da ergonomia. Antes, eu gostava de colocar meus pés em cima da mesa e enquanto tomava chá e editava fotos até que parecessem perfeitas. Agora, prefiro pensar no quadro com antecedência, pressionar o botão e obter um ótimo resultado. Uma preparação completa para fotografar, o fluxo de trabalho do Photoshop e o cão que precisa ser conduzido me ajudam a ser mais produtivo.

Beautiful girl with peonies in hands on a light background

Assine nosso blog

Mantenha-se atualizado com as tendências, obtenha dicas e insights valiosos, além de materiais bônus.